21 abril 2007

Ana Carolina Reston

Este poema foi composto quando a jovem modelo Ana Carolina Reston, que morava aqui em Campinas, morreu em decorrência de anorexia. Eu não a conheci pessoalmente, mas, uma curiosidade mórbida, causada por uma notícia sobre perfis de gente morta, fez com que eu fosse olhar o dela no orkut, essa bobagem da moda virtual, mas que tem esse poder de superar a morte, dando-nos uma sobrevida que, às vezes, pode até inspirar um poema.

Abraços.


Para Carolina Reston

Morreu menina-mulher beleza-clichê
(Como a que acabei de dizer)
por/que (?)
era
linda
e uma vez tendo sido
fora condenada a sê-lo
até o último dia de seu átimo de vida
linda
por/que (?)
não havia e jamais haveria
outro sentido a não ser o de ser
linda
por/que (?)
cria sempre no que todos lhe diziam
que estava (perpetuamente)
linda
por/que (?)
não havia outra função
a não ser a de ser
linda
por/que (?)
convencida de que para viver
a razão que lhe bastaria seria a de ser
linda
por/que (?)
morrer só pelo motivo de ser
linda
por/que(?)
vida que tinha uma só baliza a de ser
linda
por/que (?)
então sobreviver
para que
a não ser para ser
linda
por/quê (?)
pouca carne e comida
quarenta quilos de beleza para ser
linda
por/que (?)
vida que fervia cedo interrompida
para ser para sempre
linda
por/que (?)
fez-se sábia saiu por cima
morreu
linda
por/que (?)

não se abatia nem enfraquecia
era
linda
e de beleza se nutria para ser
linda
por/que (?)
o sentido que lhe dava a vida
por ele ela não seria
posta de lado esquecida
acabou de acontecer
cumpriu com perfeição
a função de não ser
outra coisa
se/não
li
n.
d.
a.
(Elcio Domingues)

8 Comments:

Blogger Janete Cardoso said...

Olá! Prazer!
Lindo seria ela não se deixar aprisionar... e viver!
bjs, apareça!

21 abril, 2007 12:22  
Blogger Lidiane said...

Eu sou o oposto.
Em quase todos os sentidos.
E sinto, só sinto por tudo o que acontece nesse mundo de valores trocados.

22 abril, 2007 00:42  
Blogger Tamara said...

Esta é uma sabedoria que deve ser passada como "ALGO QUE NÃO PODE SER SEGUIDO".

......
Mas você já reparou no quanto nos sacrificamos pela profissão?

A maioria das modelos têm esta tendência e a maioria dos executivos tendem a auto-destruir seus relacionamentos (há muitos exemplos!). Esta também não é uma forma de morrer e lentamente?

Um dos meus maiores medo é a obsessão. Eu com esta minha mania de perfeição trabalho muito para que não me torne uma obcecada.

O equilíbrio é o ponto!

B-joletas FORA DA LEI (rs)

22 abril, 2007 23:20  
Anonymous Edson Marques said...

Elcio,

por acaso, este teu poema será o epitáfio dela?

deveria estar lá, perpétuo, pétreo!

Abraços, flores, estrelas..

24 abril, 2007 23:19  
Blogger Lidiane said...

Não vai atualizar?
:(

30 abril, 2007 12:46  
Blogger Naty said...

Olá amiguinho passei para te desejar um bom feriado e continuar lendo o que tao bem escreves.
bjs naty

30 abril, 2007 17:42  
Anonymous Edson Marques said...

Procurei no blogspot o elciodomingues6... 5... 4...


e, nada!

Abraços, flores, estrelas!





.

02 maio, 2007 21:33  
Anonymous Sandra Camargo said...

Literário vc captou, o "mundo de Carolina Reston" de uma forma tão leve e sublime, que me surpreende... Mas o que mais me surpreende é ainda pensar que essas "jovens-meninas-mulheres" ainda se deixam corromper por valores tão evasivos que se esvaem ao "longo" da sua curta jornada de vida.. Vida esta que por opção, vive em morte mesmo em vida...
Super abraço...

17 maio, 2007 01:15  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home